A Técnica Vocal na Interpretação

A técnica vocal na interpretação da música renascentista e barroca

 Fonte

Introdução

Técnica Vocal e Sonoridade na Música Renascentista

A Técnica Vocal nos Séculos XVII e XVIII

Escritos sobre Técnica Vocal.

Considerações Gerais
Conclusões
Bibliografia
Site Consultado
 
  
Fonte:
Universidade Estadual Paulista-Instituto de Artes
Cláudia Felisberto
Gláucia Pina de Carvalho
Guilherme Daniel B. Mannis
 
 
Introdução

Com este trabalho, procuraremos abordar o conhecimento existente sobre a técnica vocal utilizada nos períodos da renascença e do barroco. Cada vez mais encontramos discussões em nosso curso e no meio musical sobre a adequação de uma interpretação ao conhecimento histórico que temos sobre o período relativo à obra que foi executada. Na Europa e Estados Unidos proliferam grupos que buscam uma interpretação histórica; passou-se a estudar a construção dos instrumentos e, no nosso caso, o uso das possibilidades vocais para se conseguir este ou aquele efeito.

Nosso interesse é nos inteirarmos um pouco mais sobre esta discussão e da produção resultante sobre o assunto, que aborda muitos aspectos relativos à música dos períodos citados. Neste trabalho procuraremos nos ater ao conhecimento específico sobre a técnica vocal empregada no renascimento e no barroco.

Os autores consultados colocam uma série de questionamentos sobre a relevância e mesmo sobre a possibilidade de se resgatar com extrema precisão uma prática vocal e a expressividade de uma música que já virou “história”, ou seja, que já não guarda uma relação clara com as estéticas em voga e a prática musical atual. Para G. Newton, a busca do conhecimento sobre a expressividade de peças de períodos anteriores passa por um estudo que vai além do conhecimento da partitura e que sempre vai ser resultado de uma interpretação e uma reflexão sobre os aspectos abordados. “(...) Realmente recriar o trabalho de um artista é apreender o conteúdo que o autor de fato expressou nesse trabalho, isto é, interpretá-lo corretamente como um veículo de comunicação. Tal apreensão consiste não apenas em uma compreensão geral do meio empregado, mas familiaridade com a linguagem e idioma do artista, e estes, por sua vez, são determinados por sua escola, período, cultura e personalidade. Também implica em um conhecimento do período do artista e do seu ambiente intelectual e espiritual”(p.2).

Portanto, deve-se ressaltar que a técnica vocal em si é apenas um dos quesitos a ser estudado e as conclusões ou suposições a que chegarmos sobre a mesma não serão determinantes da interpretação final, mas sim uma das importantes variantes.

Dividiremos nossa exposição como segue:

Características da sonoridade e técnica vocal no período renascentista.

Escritos comentados sobre técnica vocal do período barroco, baseados em coletânea realizada pela cantora Sally Sanford em sua tese de doutorado Seventheen and Eightheen Century Vocal Style and Technique.

Diferenças entre estilo de canto francês e italiano.
Conclusão