Um pouco da história de Ernesto Nazareth

Ernesto Júlio Nazareth nasceu no Rio de Janeiro, em 20 de março de 1863.

 

Sua mãe foi quem lhe ensinou os primeiros acordes, foi sua primeira professora, mas faleceu já em 1873.A partir disso, seu pai contratou um pianista amador, Eduardo Madureira, para dar continuidade na educação musical de Nazareth.

 

Com 14 anos compôs sua primeira música, a polca "Você bem sabe", dedicada a seu pai e editada no mesmo ano pela Casa Arthur Napoleão. Aos 17 anos, participou de um recital ao lado de vários músicos famosos. Compôs "Gentes! O imposto pegou? e Gracieta. Em 1878, compôs a valsa " O nome dela" e o tango "Cruz, Perigo!" Por essa época, Ernesto se sentia cada vez mais atraído pelas rodas de choro e , respondendo à polca do chorão Viriato, compôs "Não caio noutra".

 

No Rio de Janeiro de 1880 quase tudo era importado da Europa, das penas de bico de pato às pautas musicais, incluindo idéias e modismos. Na cidade também eram freqüentes as Sociedades Musicais, como o Club Rossiniem São Cristóvão, no qual Ernesto fez sua primeira apresentação em público, em 1886.

 

Em meados do século XIX, surgiam novos ritmos, como a polca, que veio da França e o tango.

 

Os tangos se tornaram a marca principal do compositor, mas esses tangos não eram iguais aos tangos argentinos, eram uma mistura de habanera, com o andamento da polca e às vezes um pouco de maxixe. Ernesto não aceitava a denominação popular de maxixe para suas músicas, preferindo então a denominação de "TANGOS BRASILEIROS". Entre os seus tangos brasileiros mais famosos estão: " Odeon"( que na minha opinião é sua obra mais perfeita), "Brejeiro"e " Sertaneja".

 

Devido a dificuldades financeiras, por ter que sustentar 4 filhos, Nazareth passou a dar aulas particulares de piano, tocar em bailes, lojas e cinemas.

 

Em 1907 foi nomeado para o cargo de Escriturário do Tesouro Nacional , mas não foi efetivado por não possuir concurso público.

 

Em 1918 morreu uma filha sua e já em 1929 morreu sua esposa. Assim, a saúde do compositor começou a ficar instável, apresentando já alguns sintomas de depressão, que mais tarde seriam caracterizados como loucura.Apesar das crises, continuou a se apresentar em público.

 

A convite de amigos, viajou, em 1926, para apresentações no Teatro Municipal e no Conservatório de São Paulo que atraíram grande público. Nesta ocasião o Compósito foi presenteado com um piano.

 

Em 1930, foi o primeiro compositor a fazer parte da programação da Rádio Sociedade. Em 1932, apresentou, pela primeira vez, um recital só de músicas de sua autoria no Estúdio Nicolas e, neseet mesmo ano, a convite de admiradores, realizou uma tournée pelo sul do país.

 

Por volta de 1920, Nazareth foi trabalhar na Casa Carlos Gomes, na Rua Gonçalves Dias. A função do pianista era executar músicas para serem vendidas. O depoimento de José de Oliveira, o " Juca", companheiro de piano de Nazareth na loja, ilustra bem esse período: " Naquele tempo a única maneira de conhecer as novidades musicais era através de pianistas que as casas contratavam para as demonstrações... Não havia rádio, os discos eram raros e o cinema mudo, Isso obrigava o público a fazer música em casa... As pessoas escolhiam partituras, ouvindo o pianista da casa. Lembro de algumas meninas pretensiosas que gostavam de fazer demonstrações técnicas na frente de Nazareth. O mestre era muito exigente e não admitia que suas músicas fossem maltratadas. Quase sempre mandava suspender a execução, lançando o seu habitual: Assim não se toca Nazareth!!!!

 

Nos teatros, hotéis de luxo e cinemas também aconteciam concorridos recitais. As primeiras salas de cinema não ofereciam aos espectadores, enquanto não começava a sessão, breves concertos com grandes instrumentistas da época. Por volta de 1924, Nazareth foi contratado para tocar na sala de espera de um dos melhores cinemas da cidade, o Odeon. Os espectadores chegavam ao cinema com uma hora de antecedência, afim de assistirem além de Ernesto Nazareth, a pequena orquestra do Maestro Andreozzi, da qual era violoncelista HEITOR VILLA-LOBOS. Ali Nazareth executou durante 4 anos peças de Chopin, Liszt, Beethoven e naturalmente as de sua autoria.

 

É desse período o tango ODEON, uma de suas mais famosas composições.

 

Em 1932, o estado de saúde de Nazareth se agravou, a surdez no ouvido direito o deixava apático e ele passou a sofrer de problemas emocionais, sendo internado no Instituto Neuro-Psiquiátrico da Praia Vermelha. Em 1933, foi transferido para a Colônia Juliano Moreira em Jacarepaguá. Nesse mesmo ano, segundo relato de Mozart de Araújo, que o visitara em fevereiro, Nazareth lhe contara que havi composto uma marcha para "abafar"naquele carnaval: "Estás maluco outra vez"

 

No dia 1º de fevereiro de 1934, passeando( ou fugindo) da Colônia, Nazareth se perdeu pelas matas de Jacarepaguá. Foi encontrado morto 3 dias depois próximo à Cachoeira dos Ciganos.